quinta-feira, 6 de junho de 2013

A VERDADE sobre o sexo oral (que não querem que você saiba)!

Endoideço quando dou vitamina de côco pros clientes tomarem no canudo; alguns querem só sentir a esporrada na cara, e eu adoro vê-los mascarados com meu material branquinho. 

Eu queria entender porque o governo mente sobre o sexo oral. E muitos sexólogos também escondem o jogo, fazendo um terrorismo psicológico.

Nessa visão que eles apresentam, cada pinto, cu e buceta é como uma arma voltada 24 horas contra seus próprios donos, e contra todo aquele que pensar em deles se aproximar, devendo ser manuseados com o mesmo cuidado com que um herói de cinema mexe na bomba que está prestes a explodir.

Após ler tanto o que essas pessoas escrevem, fiquei chocado, há uns anos atrás, quando conversei com um médico hematologista (especialista em sangue) que me garantiu que o sexo oral não representa risco significativo de transmissão de doenças.

Atenção: ele trabalhava num hemocentro, responsável por coletar o sangue de doadores, que depois passaria por toda série de exames e seria vendido a hospitais. Aquele médico, mais que ninguém, conhecia as formas e os riscos de transmissão das DST’s, e não tinha interesse nenhum em plantio de falsas informações, que levassem a humanidade a um cenário de Walking Dead.

Mais tarde, liguei num 0800 do governo federal para perguntar sobre o sexo oral (nem vou passar o número, porque não compensa ligar). Nunca gostei de fazer sexo oral desencapado, mas queria matar a curiosidade sobre os riscos; a conversa com a atendente foi essa:

– “Nunca faça sexo oral sem camisinha em ninguém”.
– “E se eu não engolir a saliva?”
– “Não importa; só de colocar a boca, você está se expondo a riscos.”
– “Mesmo se a boca não tiver ferida nenhuma?”
– “Sim”.
– “Então o vírus atravessa mucosa?”
– “Atravessa”.

Isso era exatamente o contrário do que o hematologista me dissera! Pelo sim, pelo não, assumi como verdade o que o governo me disse, mesmo achando um milagre os atores e atrizes pornôs que chupavam plantações de caralhos e bebiam litros de gozo (iguais crianças se lambuzando com doces), aparecendo saudáveis nas próximas gravações.

Um tempo depois, virei garoto de programa e continuei com aquela ideia-terrorista na cabeça. Eu sabia que meu corpo era limpíssimo, e ainda fazia exames periódicos pra prevenir, por isso não tinha problema em gozar na boca dos outros. Mas morria de medo de a porra de alguém ir parar na minha boca. 

Fui atender um cliente no motel; ele era casado com mulher, e estava dando o cu pela 2ª vez (tinha gostado tanto, que estava pirando naquele negócio). Em determinado momento, quis ficar em cima, e sentou gostoso na minha rola. Começou a cavalgar e a se punhetar; perguntou se podia gozar; respondi que sim.

Pra quê? O bicho foi batendo bolo, e daquele pinto saiu um jatinho que bateu no canto da minha boca. Eu não esperava por aquilo! Estava ali, de boca aberta, falando putaria e atiçando o cara, achando que seu gozo iria cair no meu peito, mas fui pego de surpresa com a bola batendo na trave!

Corri pro banheiro, pensando nas piores coisas! Pus a boca embaixo da torneira e deixei a água jorrar. Aquilo me deixou super-complexado: e se uma gotinha da vitamina do cliente houvesse entrado? E se...?

No dia seguinte, fui conversar com uma profissional da saúde que trabalha num órgão público de diagnóstico de DST’s. Ela não sabia que eu era GP, e já havia conversado comigo anteriormente. Perguntei, assim como quem não quer nada, sobre o risco de beber porra. Adivinhem o que ela falou?

Beber esperma é o de menos; aqui a gente nem considera o sexo oral como sexo, porque o risco de transmissão é desprezível: é necessário ter uma ferida aberta na boca – caso contrário, o ácido do seu estômago mata o vírus. Nós somos orientados a causar medo nas pessoas, e dizer que até sexo oral precisa de camisinha. Falamos isso por uma questão de precaução absoluta, principalmente pros garotos de programa, que costumam fazer de tudo pelo trabalho deles; mas fora isso, não tem perigo”.

Se o governo soubesse o mal que ele causa plantando informações exageradas, deixaria de nos tratar como crianças e contaria a verdade. Aquela funcionária foi um anjo ao jogar limpo, pois tirou um grande peso da minha alma.

Sou ativão; por gosto pessoal, continuo recebendo esperma só no peito, barriga e costas (nunca recebi na boca, mas pra isso acontecer o cara teria que ter muito dinheiro e ser bem atraente). Se por acaso acontecer um evento parecido com aquele, e o jato de alguém acabar na minha boca, não ficarei preocupado (como dizem os sábios: o conhecimento tira seu medo).

Você não precisa acreditar em mim; procure pessoalmente um profissional da saúde, bata um pouco de papo pra ele se sintonizar com você, e pergunte sobre o verdadeiro risco do sexo oral. À distância ou numa 1ª vez, talvez ele minta; mas com o jeitinho certo, a máscara cai.

Tritani GP.

8 comentários:

  1. Infelizmente o governo acaba deixando o ato sexual uma bomba relógio, na visão deles. Muitas pessoas deixam de fazer isso ou aquilo pelo "medo" que eles impõem nelas. Achei muito bacana esse post seu Tritani. Garanto que muitas pessoas que lerem, vão sair com outras ideias e pensamentos sobre o sexo oral e vão poder aproveitar mais.

    ResponderExcluir
  2. Minha Médica do Trabalho, que é especializada em infectologia, me colocou esse trauma, rsrs. Confesso que desde então só chupo um pau sem camisinha se ele for enlouquecedor, kkk, caso contrário, só faço com camisinha. Não que eu duvide de seu post, mas faz sentido o fato de uma pequena ferida imperceptível da boca possa ser uma porta de entrada para a corrente sanguínea e daí o risco de contrair doenças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu questionei isso ao médico do hemocentro, perguntando se uma ferida na gengiva, causada por fio dental, traria algum perigo. Ele disse que não, pois essa ferida é pequena demais, e acaba se fechando rapidamente. Somente uma ferida maior seria perigosa.

      Excluir
  3. Olá Tritani.

    Então, tudo é tão sugestionável que de 10 amigos que se conversa 9 vão dizer a vc "USE CAMISINHA MESMO NO SEXO ORAL". Assim, perder o medo e fazer o que se tem vontade é outro PLANO, implica em conhecimento e informação... Assim como vc disse. Eu confesso a vc que também prefiro usar camisinha nesse momento, perde-se o tesão? Sim, pois, nada como sentir a pele peniana em fortes ou suaves sucções rs.

    Tais informações que postaste já eram de meu conhecimento, mais sempre que vc procura alguém para conversar a respeito,... "NÃO, VC TEM QUE USAR O PRESERVATIVO MESMO SENDO ORAL rs"... Em dados momentos chega a ser compreensível, pois, vc sente a preocupação das pessoas sobre vc.
    Sobretudo, concordo que com o conhecimento e a informação sobre tudo que nos rodeia, somos capazes de sair da “ignorância” do não saber corretamente sobre determinados temas.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Muito legal a matéria e o esclarecimento sobre esse assunto Tritani, gostei muito. Abraços, ROGER!

    ResponderExcluir
  5. Rapaz, gosto muito do seu blogue e o leio sempre. Mas acho que dessa vez você meteu os pés pelas mãos. Você não tem qualquer formação para falar sobre uma questão tão séria, relacionada à saúde das pessoas. Nunca aconselhe ninguém a fazer sexo sem proteção, seja qual for a prática sexual. De fato, o risco de se contrair AIDS é bem menor no sexo oral que no sexo vaginal e, principalmente, menor que no sexo anal. Mas o risco existe. Você mesmo não deixaria um cliente gozar na sua boca. E se alguém comprovadamente soropositivo te desse um copo de porra, você teria coragem de beber? Ninguém teria.
    Na minha boca, só quem goza é meu namorado. Isso porque temos pacto de fidelidade e fazemos exames periódicos de DSTs. Nunca deixei um desconhecido (seja ou não garoto de programa) gozar na minha boca e se percebesse que o pau do cara é "babão" nem começava a fazer boquete sem camisinha. Risco menor não é "risco zero". Adoro sexo, mas amo mais a minha vida. Me cuido muito e aconselho todo mundo aqui a fazer o mesmo.

    P.S.: Eu e meu namorado somos seus fãs. Tem algum plano de vir ao Rio de Janeiro? Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou repetir um trecho da minha postagem que silencia suas objeções:

      “...por GOSTO PESSOAL, continuo recebendo esperma só no peito, barriga e costas (nunca recebi na boca, mas PRA ISSO ACONTECER O CARA TERIA QUE TER MUITO DINHEIRO E SER BEM ATRAENTE). Se por acaso... o jato de alguém acabar na minha boca, NÃO FICAREI PREOCUPADO... Você NÃO PRECISA ACREDITAR EM MIM; PROCURE PESSOALMENTE UM PROFISSIONAL DA SAÚDE, bata um pouco de papo pra ele se sintonizar com você, e pergunte sobre o verdadeiro risco do sexo oral. À distância ou numa 1ª vez, talvez ele minta; mas com o jeitinho certo, a máscara cai.”

      Não tenho plano de ir à cidade maravilhosa, mas gostaria muito. Pra isso acontecer, teria que sair de Araçatuba com as despesas pagas, e com metade do cachê adiantado. Abraço!

      Excluir

ATENÇÃO: os comentários são apenas para comentar as postagens. Pra fazer perguntas sobre outros assuntos (ex: viagens), pegue meus contatos na página "DADOS PESSOAIS" - lembrando que meras curiosidades (ex: minha vida pessoal) só serão respondidas durante o programa (presencial ou à distância).